Clique e acesse

O Maior Profeta do Antigo Testamento

ISAÍAS E A VINDA DO MESSIAS
Entre os profetas do Antigo Testamento Isaías é o maior de todos, pois é ele quem profetiza sobre o maior evento da história: a vinda de Cristo, o Messias, que seria o redentor da humanidade caída em pecado.
O processo pelo qual o Messias passaria para conseguir resgatar aqueles que nele cressem, seria uma morte horrenda na cruz para pagar o preço pelos pecados deles.


Um inocente sendo oferecido no lugar daqueles que deveriam fazê-lo, mas não tinham condições para tal. Sua profecia é tão abrangente que, num contexto imediato seria o resgate de Israel, corrompido pelo pecado, levado ao cativeiro como tentativa de correção e depois conduzido de volta à terra prometida, tudo isso apontando profeticamente para a vinda do Messias redentor. Num contexto remoto esta é a condição da humanidade longe de Deus, caída em pecado, cativa em Babilônia, mas conduzida à Sião Celestial pelo sacrifício vivo de Cristo.

Por este motivo Isaías é o profeta mais celebrado, lido, estudado e pregado do Antigo Testamento, se tornando uma das mais grandiosas produções teológicas. Sua mensagem é profunda e parte de alguém que conhecia o ambiente onde estava inserido, de modo que, tomado pela inspiração divina, foi muito assertivo nas suas profecias, especialmente as que predisseram a vinda messiânica de Jesus Cristo.

Nenhum outro profeta se referiu a este fato com tantos detalhes quanto ele. Sua pregação foi marcada por uma paixão sacerdotal, descrevendo Cristo, seu serviço e sacrifício com muita clareza, sendo por isso mesmo chamado de o evangelista do Antigo Testamento ou ainda o "Evangelho de Isaías". Seu livro também é chamado de "O livro da Salvação", sendo uma das mais importantes obras da literatura bíblica hebraica depois do Pentateuco.

O próprio Jesus leu Isaías na sinagoga de Nazaré (Lc 4.16-17) e o conteúdo do livro é ratificado e confirmado no Novo Testamento.

BELEZA POÉTICA E RIQUEZA LITERÁRIA
O profeta tem uma beleza poética e riqueza literária ao escrever que encanta qualquer leitor, por isso também é chamado de "Rei dos Profetas". Muitas expressões e palavras utilizadas não se encontram em nenhum outro lugar do Antigo Testamento. Dentre as mais importantes destaca-se uma: "o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados" (Is 53.5), as demais verifique na sua lição da Escola Bíblica Dominical de jovens. Um dos ápices das profecias de Isaías se dá nos capítulos 52 e 53 quando ele compõe o Cântico do Servo Sofredor, cujo conteúdo salvífico aponta para o sofrimento, padecimento, morte e ressurreição do Messias.

O TEMA CENTRA E A MISSÃO DO PROFETA
 O tema central de Isaías é o amor de Deus demonstrado no socorro ao seu povo através do sacrifício do Servo Sofredor, ou seja, a grande salvação de Deus. Por isso, os objetivos de Isaías ao escrever eram: falar contra a rebeldia, a idolatria e a falsa religião; denunciar a injustiça social; anunciar o juízo de Deus (o cativeiro babilónico), diante do pecado; e anunciar a vinda Messias, o único que seria capaz de libertar o povo do pecado e trazer completa libertação. O profeta desenvolve seu conteúdo demonstrando quem é o Deus que Israel deveria servir; fala sobre o Espírito de Deus (Is 11.1-2; 32.15; 42.1; 61.1; 63.14); anuncia o Messias e discorre escatologicamente sobre a glória do Reino futuro que será perfeito com Cristo como seu rei eterno.

A missão que Isaías recebeu foi bastante difícil, tendo em vista a desobediência e rebeldia que o povo se encontrava. Portanto, num contexto imediato, suas profecias cairiam no vazio da estupidez e surdez de um povo pecador e afastado de Deus (Is 6.9-10), muito embora num contexto de longo prazo suas profecias se cumpririam.
Deus precisava mostrar para o povo que eles eram rebeldes e que mesmo ouvindo Sua Palavra não se converteriam. Neste sentido Isaías não teve tempo em vida de ver o cumprimento de suas predições, pois, dada a grandeza de suas revelações, elas se cumpririam na história da humanidade em tempos vindouros distantes, tanto as que se referiam a Israel, quanto as que se referiam a toda raça humana. Israel seria levado ao exílio, experimentaria um novo êxodo, um remanescente voltaria para a terra prometida, viria um grande rei, um Messias que cumpriria todas as promessas de Deus em relação a Israel, mas este Messias teria que padecer grandes dores para remir o povo escolhido, entretanto o povo escolhido rejeitaria o Messias, isto proporcionaria a salvação dos gentios que viviam em densas trevas.

Num futuro ainda mais distante o povo escolhido seria resgatado novamente, então sim se estabeleceria um reinado de paz, prosperidade e justiça na terra que alcançaria todos os povos, tribos, raças e nações. Portanto, suas profecias apontam para o dia em que todos os povos da terra, judeus e gentios, estarão sob o reinado do Reino de Cristo...

Conclusão
Os escritos de Isaías nos enchem de esperança, nos possibilitando sonhar com um mundo melhor e mais justo, sendo possível alguma antecipação do Reino de Deus com todas as suas virtudes entre os homens aqui e agora.
Autor:  Claiton Ivan

Publicação: Ensinador Cristão – 67 / Reverberação: escolabiblica-ecb.blogspot.com
Cursos e Estudos Bíblicos