Anuncios

FECHAR
Clique e acesse
 

Através de uma série de palavras e frases o escritor aos Hebreus (ver 7.26-29) descrever o caráter de Jesus.
O autor abunda ainda no pensamento de Jesus como sacerdote. Começa esta passagem usando uma série de grandes palavras e frases para descrever a Jesus.
Acesse Aqui o Curso para Professores da EBD

(1) Jesus é santo.
Usa a palavra hosios que no Novo Testamento aplica a Jesus em Atos 2:27 e 13:35 e ao Senhor em Apocalipse 15:4 e 16:5. Usa-se do bispo cristão em Tito 1:18. Aplica-se às mãos que o homem deve apresentar a Deus em oração em 1 Timóteo 2:18. Atrás deste termo esconde-se sempre uma idéia particular. Descreve ao homem que fiel e meticulosamente realiza sempre sua obrigação para com Deus; o homem não tanto como aparece perante seus semelhantes mas sim como aparece perante Deus. Hosios é o termo que expressa a maior das bondades: a que é pura à vista de Deus.

(2) Jesus é inocente.
Em grego usa-se o adjetivo akakos. Kakia é a palavra grega para mal; o termo descreve ao homem limpo de todo mal e cheio de todo bem; o homem em sua influência sobre seus semelhantes.
Sir Walter Scott reclamava para si mesmo como escritor o não ter jamais corrompido a moral do homem ou minado sua fé. O homem akakos é aquele que está tão purificado que sua presença serve de anti-séptico e que em seu coração não abriga mais que a amante bondade de Deus.
(3) Jesus é sem mancha.
A palavra grega amiantos descreve o homem que está absolutamente livre de qualquer mancha ou contaminação que pudesse incapacitá-lo para apresentar-se perante Deus. A vítima impura não pode ser oferecida a Deus; o homem desonrado não pode aproximar-se a Ele. Mas aquele que é amiantos está capacitado para entrar na presença de Deus.

(4) Jesus é afastado dos pecadores.
Esta frase deve ser entendida em seu significado próprio. Não se diz que Jesus não foi realmente homem; de maneira nenhuma trata-se de privar Jesus de sua humanidade plena. Jesus estava afastado dos pecadores porque apesar de ser inteiramente homem e de confrontar todas as tentações humanas, jamais caiu em tentação alguma, mas ao contrario, superou-as e saiu delas sem pecado. A diferença entre Ele e outros homens não está em que não fora inteiramente humano, mas no fato de que Ele era a verdadeira humanidade no sentido mais alto e sublime, o homem sem pecado.

(5) Finalmente diz que Jesus foi feito mais sublime que os céus. 
Nesta frase pensa na ascensão e exaltação de Jesus. Se a última frase sublinha a perfeição da humanidade de Jesus esta sublinha a perfeição de sua divindade. Aquele que era homem entre os homens é também aquele que foi exaltado à mão direita de Deus.


Fonte:
Comentário de Hebreus por William Barclay

 
Top